Como abrir uma Agência Imobiliária em 2022

Blog / Empresas / Como abrir uma Agência Imobiliária em 2022
Como abrir uma Agência Imobiliária em 2022

Os hábitos da população têm vindo a sofrer alterações, resultantes da evolução normal do tempo, mas também devido à pandemia. Tudo isto está a impactar diversos setores de atividade, nomeadamente o setor imobiliário, no qual as agências imobiliárias precisaram de inovar e adaptar-se a algumas restrições, passando, por exemplo, a utilizar vídeos ou realizar tours virtuais pelas casas, em paralelo com as tradicionais visitas físicas. Adicionalmente, a procura de imóveis com espaço exterior, como moradias, acentuou-se devido à presença regular do teletrabalho, o que tem impactado significativamente este mercado.

Assim, a atividade imobiliária exige que os agentes tenham um elevado nível de liderança, formação, persistência e paciência, por ser um setor de atividade bastante instável. No entanto, são várias as vantagens de abrir uma imobiliária e pode ser também um setor com um elevado nível de rentabilidade.

9 Passos para abrir uma Imobiliária em Portugal

Pretende abrir uma imobiliária em Portugal? Saiba como em apenas 9 passos:

1. Escolher se pretende criar uma agência imobiliária de forma independente ou investir num franchising imobiliário.

Por um lado, escolher um franchising para abrir uma agência imobiliária poderá trazer-lhe grandes vantagens ao nível de know-how, parcerias e reconhecimento, até porque existem várias agências imobiliárias em Portugal, em regime de franchising, com elevada notoriedade de marca e onde poderá ter maior oportunidade de penetração de mercado. No entanto, poderá sentir que tem menos flexibilidade na criação e gestão do negócio, por ter de corresponder a certos padrões standard do franchising, assim como maiores custos associados, nomeadamente franquia de entrada, royalties e fundo comum de marketing.

Por outro lado, poderá sempre criar uma agência imobiliária de forma independente, onde terá toda a liberdade de decisão no negócio. Contudo, este modelo pode exigir investimentos mais elevados, por exemplo, ao nível de marketing e comunicação, algo que é essencial neste setor.

2. Fazer um estudo de mercado e um plano de negócios completo que explique toda a sua ideia de negócio e inclua uma análise de rentabilidade financeira, assim como um plano de comunicação e marketing.

Neste caso, é importante perceber, por exemplo, se pretende investir no mercado imobiliário tradicional ou no mercado imobiliário de luxo, que tem vindo a crescer em algumas zonas de Portugal, como Lisboa. Os estudos de mercado que realizar devem suportar a sua escolha e dar-lhe insights para criar o plano de negócio, que explicará detalhadamente toda a sua ideia.

Poderá suportar a sua análise recorrendo a ferramentas como 5 Forças de Porter, Análise SWOT, Marketing-mix (com os seus 8 P’s) e Triângulo de Ouro do Posicionamento, que irão ajudá-lo bastante nesta fase.

3. Avaliar qual o investimento necessário para abrir o seu negócio, quer pretenda abrir de forma independente, quer opte por um franchising.

Em ambos os casos, deve informar-se bastante bem e fazer uma estimativa dos custos necessários para abrir uma imobiliária, tendo em conta o melhor e pior cenário, considerando todas as fases do processo, a curto e longo prazo. Deve, ainda, considerar alguns dos custos que terá, sejam eles fixos (água, eletricidade, salários, entre outros) ou variáveis (comissões pagas aos consultores imobiliários e publicidade).

4. Procurar fontes de financiamento, caso necessite.

Pode recorrer a fontes privadas, como financiamento bancário e business angels ou perceber se existem incentivos para abrir uma agência imobiliária, como apoios públicos, atribuídos pelo IEFP, IAPMEI, ANJE e entre outros apoios ao empreendedorismo.

5. Criar a empresa em nome individual ou coletivo, online - nos Balcões Empresa na Hora ou presencialmente.

O custo do processo de criação da empresa no Balcão Empresa na Hora standard tablado é de 360€, que terá de ser pago nesse momento. Deve reunir todos os documentos e o capital necessários.

O CAE para uma empresa de mediação imobiliária é o CAE 68311 - Atividades de mediação imobiliária e compreende a intermediação na compra, venda, arrendamento ou atividades similares sobre imóveis, executadas por conta de terceiros.

Contudo, pode ter de utilizar outros CAE(s) secundários como:

  • CAE 68100 - Compra e venda de bens imobiliários;
  • CAE 68200 - Arrendamento de bens imóveis;
  • CAE 68312 - Angariação imobiliária;
  • CAE 68313 - Avaliação imobiliária;
  • CAE 6831 - Administração de imóveis por conta de outrem;
  • CAE 69101 - Preparação de documentos jurídicos.

Conheça todos os CAE(s) para atividades imobiliárias.

6. Garantir que tem as licenças necessárias para este tipo de atividade.

No caso da atividade de mediação imobiliária, em nome individual ou coletivo, estabelecido em território nacional, sem prejuízo do disposto no artigo 21.º da Lei n.º 15/2013, de 8 de fevereiro, deve solicitar, antecipadamente, junto dos serviços do IMPIC, I.P. um pedido de licenciamento.

A lei estabelece dois requisitos de acesso à atividade para a concessão de licença:

  • Possuir idoneidade comercial;
  • Ser detentor de seguro de responsabilidade civil, ou garantia financeira ou instrumento equivalente que o substitua.

Para instruir um processo de Licenciamento, deve apresentar alguns documentos, quer seja pessoa singular ou coletiva, no âmbito da atividade imobiliária. Após a realização do pedido, a concessão de licença depende da comprovação dos requisitos de ingresso na atividade e do pagamento da(s) respetiva(s) taxa(s).

Pode obter a  licença de mediação imobiliária online ou presencialmente. Os modelos a preencher para o requerimento da licença podem ser obtidos no portal do IMPIC (www.impic.pt) e pode apresentá-los nos postos de atendimento ao público do instituto ou enviar por e-mail para qualificacao@impic.pt.

O custo de uma licença AMI (Atividade de Mediação Imobiliária) pode ser consultado na Portaria nº 199/2013, de 31 de maio. No entanto, é importante referir que o valor associado a este documento pode variar entre os 25 euros, no caso de emissões de certidões ou declarações, e os 265 euros (valor anual) para a regulação da atividade.

7. Investir numa equipa multidisciplinar e especializada

As equipas são quem faz toda a diferença no sucesso de um negócio e, especialmente neste mercado, é imprescindível investir em colaboradores e/ou agentes que tenham um gosto especial pela atividade imobiliária, com fortes skills comerciais e de marketing, que prestem um atendimento de alta qualidade e que possam transmitir confiança aos seus clientes. Devem ser pessoas com um alto sentido de responsabilidade, resiliência e empenho, uma vez que é um mercado desafiante.

8. Fazer a gestão da empresa, incluindo áreas como contabilidade, logística, faturação e recursos humanos.

Depois da empresa criada e o licenciamento aprovado, deverá considerar os vários custos que terá, como de arrendamento ou leasing do espaço físico onde trabalhará, despesas de eletricidade e água, salários dos colaboradores, seguros de atividade e pessoais, internet, transportes, assim como em softwares de gestão, contabilidade e CRM.

Existem vários sistemas que poderá escolher para o ajudar na gestão de várias áreas em simultâneo, como logística, contabilidade e faturação, mas o mais importante é escolher os sistemas que melhor se adequam ao seu negócio.

O Vendus é um sistema de faturação online, com várias APIs e integrações associadas, que lhe permite gerir e emitir faturas, criar orçamentos em segundos, entre outras funcionalidades. Basicamente é tudo o que necessita, em ambiente online, sem recorrer a papéis, de forma personalizada ao seu negócio e integrado com várias formas de pagamento. Conheça tudo sobre o Vendus.

9. Divulgação e promoção dos serviços imobiliários

A atividade imobiliária requer um elevado nível de confiança por parte dos clientes e, por isso, deve investir na comunicação e promoção dos seus serviços de forma estratégica.

Para abrir uma imobiliária virtual, é imprescindível ter um site próprio, onde os clientes possam conhecer a empresa, aceder aos contactos dos agentes e aceder a todos os imóveis em comercialização, através de uma pesquisa intuitiva. É também muito importante fazer um bom trabalho ao nível de SEO e SEA, para que mais facilmente o seu site apareça nos resultados de pesquisa.

Estar presente no LinkedIn e noutras redes sociais, como Facebook e Instagram, também pode ajudar e acaba por ser mais um ponto de contacto com possíveis clientes, assim como uma forma de partilhar os seus imóveis, novidades e, até, testemunhos de clientes, através de imagens e vídeos interativos.

Ao ter um escritório físico deve criar conta e marcar o local no Google My Business, com as suas informações atualizadas, como horários de funcionamento, morada e outros detalhes.

Por fim, pode também fazer sentido promover a imobiliária e imóveis disponíveis através de alguns meios tradicionais, como outdoors, panfletos, jornais locais e cartões de visita, para cada um dos agentes.

Conheça mais detalhes sobre como criar uma empresa.

Achou o artigo interessante?

Software de Faturação e POS desde 4.99€/mês sem limites.
30 Dias Gratuitos sem compromisso!

Sobre o Vendus

O Vendus é um programa de facturação certificado online que permite gerir uma loja em qualquer lugar pois funciona 100% na cloud. Como é um software POS online, permite faturar em segundos num restaurante, bar, cabeleireiro ou qualquer outro tipo de comércio.