Jovem Agricultor: como montar um projecto agrícola

Blog / Empreendedorismo / Jovem Agricultor: como montar um projecto agrícola
Jovem Agricultor: como montar um projecto agrícola

A agricultura é um setor da economia portuguesa que está a atrair cada vez mais jovens empresários e empreendedores, que pretendem fugir do ritmo acelerado das grandes cidades em prol de um estilo de vida e de trabalho diferentes, criando o seu próprio negócio agrícola.

Pretende abrir um projeto agrícola?

Saiba quais os aspetos a ter em conta antes de avançar para a criação de um negócio neste setor de atividade:

1. Tipo de cultura e produtos

É essencial escolher os produtos que pretende cultivar e comercializar. Para tal, pode ter em consideração algumas tendências de consumo, assim como procura e oferta do mercado.

Por exemplo, o Olival tem sido uma das maiores apostas agrícolas dos últimos anos em Portugal, pelo crescente consumo de azeite, fazendo com que este tipo de produto já ocupe 377 mil hectares de terreno agrícola em Portugal, metade dos quais no Alentejo.

Adicionalmente, os frutos de casca rija têm sido outra tendência nos últimos anos da agricultura nacional e em dez anos duplicaram a sua produção.

Dica: cada vez mais, a população procura produtos biológicos, pelo que pode ser um bom fator a ter em conta na escolha do tipo de produtos a investir.

2. Aquisição do terreno

Se não possui nenhum terreno, um dos primeiros passos a tomar deve ser a aquisição de um terreno com uma área e condições favoráveis ao exercício da atividade agrícola. Nesta fase, deve também considerar a possível evolução do negócio, os recursos que precisará e toda a logística necessária durante a atividade.

É importante dar nota que o local do terreno deve ser escolhido tendo por base o tipo de produtos a comercializar, tendo em conta as suas necessidades ao nível da temperatura, humidade e entre outros fatores.

Por outro lado, se já tiver um terreno, uma boa estratégia será escolher o tipo de produto a cultivar, com base nas características do próprio terreno.

3. Modo de comercialização

Nesta fase, é relevante decidir se pretende comercializar os seus produtos através de um meio próprio, através de uma loja física ou online,ou ambos. Esta decisão  influenciará todo o planeamento da sua atividade.

Procure perceber a aderência de alguns parceiros de venda no país ou, até, externos, uma vez que Portugal é um país privilegiado pelas suas condições meteorológicas e bastante requisitado por outros países. Opte ainda por identificar cooperativas que comercializem o tipo de produtos que produz.

4. Planeamento anual de atividades e orçamento

Visto que este setor de atividade pode ser bastante condicionado pelos fatores naturais, como a temperatura ambiental, humidade, qualidade do solo e entre outros fatores, opte por desenvolver um planeamento com, pelo menos, 1 ano de antecedência, com base no calendário agrícola. Se a atividade agrícola for realizada com a plantação de diferentes produtos, deve considerar diferentes orçamentos para cada tipo de produto, tendo em conta o melhor e pior cenário, de forma a precaver-se de possíveis alterações na colheita ou problemas meteorológicos.

Se for bem planeado, o orçamento permite aos gestores agrícolas organizar a sua produção e tomar decisões, de forma mais racional e lucrativa para o negócio, garantindo o controlo de qualidade e otimização da produção.

5. Gestão de todos os recursos

A gestão de um negócio faz toda a diferença na sua rentabilidade e sucesso. Dessa forma, deve adquirir e utilizar sistemas que o auxiliem a fazer a gestão da faturação  e contabilidade do negócio, que lhe permita registar todas as entradas e saídas de dinheiro, stock e clientes para maximizar o seu lucro.

É importante considerar os métodos de valorização de entradas e saídas de stock adequados a cada tipo de produto e, se necessário, adaptá-los ao seu nível de produção, de modo a garantir que nenhum produto se estrague ou perca as suas características de qualidade antes de ser vendido. Conheça a diferença entre o FIFO e o LIFO.

O Vendus é um software de facturação online certificado online que permite gerir o seu negócio em qualquer lugar, quer tenha uma loja com um ponto de venda físico ou online. Se o seu negócio implica venda ambulante, opte pelo plano flex, podendo emitir faturas através do seu smartphone ou tablet. Experimente o Vendus, de forma grátis durante 30 dias.

6. Análise de performance

De forma a garantir a boa gestão de todos os recursos, é essencial definir alguns KPIs, isto é, indicadores chave de performance bem definidos, que lhe permitam traçar metas e avaliar a performance dos processos envolvidos na produção agrícola. Outro aspecto importante passa por calcular, ainda que de forma aproximada, a sua capacidade de produção instalada para que possa fazer uma gestão previsional.

A título de exemplo, se tem uma plantação de mirtilos, com plantas no 6 ano de maturação, é expectável que colha cerca de 4 quilos de fruto por planta. Se a sua plantação tem 6.000 pés e se vender o quilo de mirtilo a 3,5 €, significa que a sua capacidade de produção é de 24 Toneladas/ano, com um potencial de venda de 84.000 €/ano.

7. Automação dos processos

Muitas das atividades agrícolas são rotineiras e seriam bastante mais produtivas se fossem feitas de forma automática e programada, de modo a garantir uma certa rapidez e qualidade.

Assim, é possível automatizar muitos dos processos administrativos e operacionais, minimizando a mão-de-obra em alguns cenários, libertando-as para outras funções de maior complexidade ou importância. Assim, estará a aumentar a produtividade ao mesmo tempo que reduz custos operacionais.

8. Criação e utilização de um sistema de dados

Os dados são fundamentais em todos os negócios, por isso, se conseguir criar uma base de dados eficaz, garante a utilização de indicadores coerentes e ajustados à realidade do seu negócio.

A automação dos processos poderá facilitar a recolha de informações pertinentes e de qualidade, que impactarão a tomada de decisões seguras no futuro. Por exemplo, se com os automatismos conseguir perceber que de julho a agosto tem gasto, em média, mais 50% do seu orçamento em água, poderá implementar sistemas ou ações que lhe permitam produzir água de forma mais sustentável ou, até, reutilizá-la.

9. Formação e inovação

Não deixe de parte o investimento na formação e no desenvolvimento de competências e mantenha-se atualizado acerca de todos os processos e mecanismos para inovar o seu negócio. Mantenha-se a par das últimas tendências tecnológicas do setor e visite feiras da especialidade com o máximo de regularidade possível.

Porquê tornar-se um jovem agricultor?

De acordo com os dados disponibilizados pela União Europeia (UE), apenas 11% das explorações agrícolas da UE são geridas por agricultores com menos de 40 anos e Portugal é dos países europeus em que os produtores agrícolas são mais velhos, sendo que a média de idades passou dos 63 anos em 2009 para os 65 anos em 2016.

Atualmente, trabalham no setor agrícola 315 mil pessoas, menos 14,5% que há dez anos, das quais dois terços são homens. No entanto, o número de mulheres no setor tem vindo a subir, embora de forma pouco significativa - apenas 2% em dez anos.

Tendo em conta estes dados de envelhecimento da população agrícola, os Estados-Membros da União Europeia têm vindo a intensificar esforços para apoiar jovens a tornarem-se agricultores. Por isso, se pretende ser um jovem agricultor, é aconselhável estar a par dos apoios a esta atividade:

  • Programa de Desenvolvimento Rural

O Programa de Desenvolvimento Rural (PDR) é subsidiado por fundos comunitários, entre os quais se inclui o Fundo Europeu Agrícola e de Desenvolvimento Rural e é válido para jovens agricultores, com idades entre os 18 e 40 anos.

Conheça o Plano de Abertura de Novos Concursos para 2021.

  • Apoios do IFAP (Instituto de Financiamento da Agricultura e Pescas)

O IFAP (Instituto de Financiamento da Agricultura e Pescas) é um instituto público integrado na administração indireta do Estado, com a missão de apoiar o desenvolvimento da agricultura e das pescas, bem como do setor agroalimentar, através de sistemas de financiamento direto e indireto.

Como os apoios concedidos pelo IFAP variam de acordo com o tipo de produtos e género de cultura e neste momento tem alguns programas de desenvolvimento rural em curso, entre os quais o PDR2020, PRORURAL+, PRODERAM2020 e o Programa MAR 2020.

Para saber mais sobre estes apoios, deve registar-se no IFAP.

  • Apoios da AGROBIO

A AGROBIO é a Associação Portuguesa de Agricultura Biológica e disponibiliza vários apoios a quem pretenda dedicar-se ao setor da agricultura, nomeadamente no que diz respeito à agricultura biológica. Conheça todas as vantagens da agricultura biológica.

Entre esses apoios, destaca-se o apoio técnico à agricultura biológica, apoio ao desenvolvimento comercial ou apoio na elaboração de projetos de investimento, de desenvolvimento comercial, entre outros.

  • Emprego Interior MAIS - Mobilidade Apoiada para Um Interior Sustentável

Este apoio foi criado com o objetivo de incentivar a mobilidade geográfica no mercado de trabalho por parte de empresários e trabalhadores para o interior do país, oferecendo benefícios fiscais dados às famílias e empresas. Conheça mais pormenores deste apoio na Portaria n.º 174/2020.

Além de todos estes benefícios e apoios associados à condição de jovens agricultores, nomeadamente ao nível dos apoios ao investimento e à redução da burocracia no acesso a estas ajudas, avançar para um projeto agrícola  possibilita a criação de novos empregos e do seu próprio emprego, num setor bastante promissor, que lhe poderá trazer uma rentabilidade económica.

Software de Faturação e POS desde 4€/mês sem limites.
30 Dias Gratuitos sem compromisso!

Sobre o Vendus

O Vendus é um programa de facturação certificado online que permite gerir uma loja em qualquer lugar pois funciona 100% na cloud. Como é um software POS online, permite faturar em segundos num restaurante, bar, cabeleireiro ou qualquer outro tipo de comércio.