Quanto cobrar pelo serviço de Assistente Virtual - 3 Dicas

Blog / Empresas / Quanto cobrar pelo serviço de Assistente Virtual - 3 Dicas
Quanto cobrar pelo serviço de Assistente Virtual - 3 Dicas

O serviço de Assistente Virtual tem tido, cada vez mais, uma maior procura e impacto na performance das empresas que contratam este tipo de trabalho.

No entanto, visto ser uma profissão relativamente recente, ainda existem muitas questões envolvidas com o serviço de Assistente Virtual, entre as quais “O que é e o que faz um Assistente Virtual?”, “Como ser Assistente Virtual?”, “Como ter sucesso como Assistente Virtual?” ou “Quanto cobra um Assistente Virtual”, por exemplo. Considerando esta última questão, vamos dar-lhe algumas dicas com o objetivo de perceber quanto cobrar pelo serviço de Assistência Virtual.

Numa primeira fase deve perceber que cada Assistente Virtual é único(a), com características e skills diferentes, tendo em conta a respetiva experiência profissional e pessoal, formação, competências pessoais, entre outros fatores, o que torna a definição de preço bastante subjetiva, uma vez que se pode basear na conjugação destes diferentes fatores.

Explicando de forma prática, quanto mais experiente for o(a) Assistente Virtual, maior será o seu valor de mercado, devido ao nível de conhecimento e experiência que apresenta. Adicionalmente, se oferecer um serviço mais técnico ou especializado, o valor cobrado deverá ser, também, ajustado ao nível de especificidade.

Por outro lado, o preço a cobrar deve ser ajustado consoante o nível de urgência e prazos para cumprimento do serviço, uma vez que um nível elevado de urgência implica um maior número de horas e esforço acrescido para cumprir os timings estipulados, que deve ser refletido no preço pago, isto é, naturalmente mais elevado.

Como é possível perceber, não existe um valor certo para cobrar por este tipo de serviço, devido a toda a subjetividade.

Como calcular quanto cobrar pelo serviço de Assistente Virtual?

1. Analise os seus custos mensais, profissionais e pessoais

    O valor cobrado pelos serviços deve ter em consideração todos os custos envolvidos, quer a nível profissional como pessoal, de modo a garantir que presta um serviço lucrativo.

    Quanto aos custos pessoais, considere os seus gastos mensais como luz, água, internet, eventual renda, gasolina, comida, seguros de saúde, entre outros custos fixos, assim como eventuais custos variáveis, como despesas médicas, custos em refeições, viagens ou outro tipo de gastos.

    Relativamente aos gastos profissionais, considere todos os gastos essenciais para a sua atividade profissional, como computador, monitor, cadeira de trabalho, material de papelaria, custo adicional de internet, luz, telefone, impostos, entre outros.

    Adicionalmente, não é rentável trabalhar apenas para cobrir os custos, deve garantir que consegue amealhar algum montante para uma eventual emergência, como hospitalização ou arranjo de computador, assim como uma quantia para investir em si e no seu negócio, através de cursos, melhores equipamentos e outros fatores.

    2. Calcule o seu preço à hora, para ter uma base para o valor a cobrar

    1. Estime quantas horas pretende trabalhar por dia (exemplo: 4 horas)
    2. Multiplique esse valor pela média de dias úteis mensais, 22 dias (exemplo:  4 horas x 22 dias = 88 horas por mês)
    3. Some todos os seus custos pessoais, profissionais e outros eventuais gastos que possa ter, depois divida pelo número total de horas mensais (exemplo: 1000 euros de custos / 88 horas por mês = 11,4 euros/hora, aproximadamente).

    É essencial perceber que o valor por hora varia de pessoa para pessoa, tendo em conta os seus custos e outro tipo de fatores associados. Por isso, deve estipular um preço justo, de acordo com a sua própria realidade. Pode olhar para o mercado para ter uma noção dos preços praticados, mas deve focar-se em si e no seu posicionamento.

    3. Escolha quais os métodos de cobrança que irá utilizar para cobrar os seus serviços

    • Valor por hora

    Para qualquer tipo de trabalho, é importante e bastante relevante calcular qual o valor por hora a cobrar pelos serviços prestados, com base nos fatores referidos anteriormente, como os custos pessoais e profissionais, nível de experiência, especialização do serviço, entre outros fatores.

    • Packs de horas

    Nos casos em que seja possível prever o número de horas necessárias para realizar algum serviço, pode ser bastante vantajoso, para ambas as partes a utilização de um pack de horas, principalmente como ponto de partida para as empresas que têm um orçamento mais limitado, como por exemplo packs de 10 horas mensais.

    Para que corra da melhor forma, deve existir uma grande comunicação e organização entre as partes, para que seja claro o número de horas a utilizar e onde devem ser utilizadas, de forma prioritária.

    A maior desvantagem neste tipo de cobrança, pode ser o facto dos clientes necessitarem de cumprir certos objetivos, mas, para tal, precisarem de adquirir mais horas. No entanto, é uma questão de gestão de prioridades e transparência entre ambos.

    • Avença Mensal

    Através do modelo de avença mensal, é possível trazer uma maior segurança, tanto para quem contrata o serviço como para o(a) Assistente Virtual, uma vez que o cliente paga um valor mensal em troca de determinadas tarefas ou objetivos.

    Apesar disso, para o modelo avença funcionar bem, deve ser definido, de forma transparente, o que está ou não incluído nessa avença e garantir o compromisso entre ambas as partes.

    Para o fazer, deve perceber quantas horas necessitará, em média, por dia para cumprir o serviço e multiplicar pelo seu valor por hora. Por exemplo: 2h por dia x 11,4 euros/hora x 22 dias úteis = aproximadamente 502 euros mensais.

    • Por projeto

    A cobrança por projeto é bastante recorrente em empresas ou clientes que não necessitam de apoio constante, mas apenas durante um determinado período de tempo, para desenvolver um projeto específico. Nesse tipo de casos, deve ser feito um acordo prévio de quanto receberá o(a) Assistente com o cumprimento do projeto e quais as tarefas a assegurar receber esse valor.

    Adicionalmente, poderá fazer sentido definir timings para cada tarefa, de forma a organizar o projeto e garantir o pagamento por objetivos.

    É normal que, ao trabalhar como Assistente Virtual, utilize diversos tipos de cobrança, tendo em conta os objetivos e necessidades de cada cliente.

    O mais importante, ao escolher quanto cobrar como Assistente Virtual, é ser flexível, transparente e criar uma boa relação com os clientes, de modo a fidelizá-los aos seus serviços, assim como garantir uma futura parceria para continuidade do trabalho e, até, recomendação dos seus serviços a outras empresas.

    Dica

    Muitas vezes, pode ser benéfico para ambos, oferecer alguns descontos em packs ou em serviços, mantendo sempre uma margem confortável para o(a) Assistente, de modo a estimular que os clientes adquiram mais horas ou serviços, pelas vantagens associadas.

    Adicionalmente, de modo a garantir uma maior eficiência no seu trabalho, conheça algumas ferramentas essenciais para um(a) Assistente Virtual.

    Achou o artigo interessante?

    Software de Faturação e POS desde 4.99€/mês sem limites.
    30 Dias Gratuitos sem compromisso!

    Sobre o Vendus

    O Vendus é um programa de facturação certificado online que permite gerir uma loja em qualquer lugar pois funciona 100% na cloud. Como é um software POS online, permite faturar em segundos num restaurante, bar, cabeleireiro ou qualquer outro tipo de comércio.